Dicas da Ilha Esmeralda dadas por um grupo de mulheres queridas

Transporte público em Dublin

Transporte público em Dublin

Antes de vir para Dublin, pesquisei sobre as formas de deslocamento pela cidade e encontrei em vários sites e blogs informações sobre transporte público, mas nenhum deles mencionava como usá-lo de fato. Pode parecer óbvio e acho que por isso ninguém menciona, mas não é! Vou explicar o porquê.

Quais os tipos de transporte público?

Em Dublin existem 3 formas de transporte público: ônibus (todos de 2 andares), trem (o chamado DART) e tram (tipo um bonde elétrico, chamado de LUAS). As 3 formas juntas cobrem a cidade inteira, mas a diferença é que o trem (DART) cobre a região da costa, próxima ao mar, o tram (LUAS) cobre o centro, sul e sudeste e o ônibus cobre a cidade toda.

Lansdowne Road DART Station (Fonte: Ariadne Camila)

Quanto custam as passagens?

Os valores das passagens para todos os transportes em Dublin dependem das distâncias percorridas. Para não se estressar com cálculos e moedas, tenha sempre com você o leap card (cartão de transporte equivalente ao bilhete único de São Paulo). Este cartão pode ser comprado em mercados, lojas de conveniência e vários outros lugares e na hora da compra você já coloca um valor de crédito (5 EUR, 10 EUR, etc). Só o cartão, sem crédito, custa 5 EUR e ele pode ser carregado on-line ou pelo aplicativo para smartphone do leap card.

Se você não tiver o leap, você pode comprar as passagens de LUAS e DART em máquinas nas próprias estações, mas no caso dos ônibus, deve falar com o motorista. Para saber mais detalhes, continue lendo…

Como uso o leap card nos transportes?

Se você pegar o trem (DART), você deve passar o cartão nas catracas das estações quando entrar e depois quando sair. Quando você entrar, é cobrado o valor máximo do trajeto e quando você sair, é devolvido o valor para o seu cartão referente ao trajeto não percorrido, ou seja, você só vai pagar pela distância que percorreu.

No LUAS é a mesma coisa: você deve passar seu cartão na máquina que fica no ponto (stop) antes de entrar no LUAS e depois passar de novo na máquina assim que sair do LUAS. O valor também será de acordo com a distância no mesmo esquema de DART, ou seja, vai ser cobrado o máximo e depois receberá de volta a diferença. Se você esquecer de passar o cartão na saída do LUAS, irá pagar o valor cheio.

Importante: Se você esquecer de passar o leap card na máquina antes de entrar no LUAS e um fiscal passar para verificar seu cartão, você terá que pagar uma multa que gira em torno de 100 EUR, portanto, A-T-E-N-Ç-Ã-O!

LUAS cruzando o rio Liffey (Fonte: Google)

O ônibus, na minha opinião, é o mais complexo de todos, pois não tem uma regra exata sobre o valor da tarifa. Aqui você entra e sai pela porta da frente e paga um valor se usar a máquina da esquerda, próxima ao motorista e outro valor se usar a máquina da direita. Vamos a algumas regras e  dicas para os ônibus:

  •  Sempre cumprimente e agradeça ao motorista quando subir ou descer do ônibus (Hi! Good Morning! Thank you!). Isso pode influenciar no valor da sua passagem…
  • O valor que você vai pagar depende do número de pontos (stops) até chegar ao seu destino (“Cara, nunca peguei essa rota, como vou saber?” Sugestão: diga sempre ao motorista que vai para algum lugar no centro, não importa a exatidão, ex: Trinity College, O’Connel street, etc. Se for no sentido oposto, decore pelo menos o bairro para dizer ao motorista.)
  • Se você já tem o leap card carregado, só diga ao motorista onde vai descer e passe o cartão na máquina próxima a ele quando entrar (lado esquerdo do ônibus). Se não tem o cartão ainda, deposite o valor que ele te falar na caixinha ao lado dele (apenas moedas são aceitas, nada de notas) e ele vai imprimir um comprovante. Você deve guardá-lo durante toda a viagem para o caso de aparecer algum fiscal e você não precisar pagar aquela multa de 100 EUR.
  • Se você passar o cartão na máquina da direita ao invés de falar com o motorista, sempre será cobrado pela tarifa máxima (2,60 EUR). Eu acho melhor sempre falar com o motorista, pois eles cobram um valor diferente sem exceder os 2,60 EUR, então você pode ter a chance de pagar menos só por ele ter ido com a sua cara (Se lembra do “Good Morning” ao entrar?). Se você não tiver o leap card, o valor máximo será de 3,30 EUR.

E se eu for estudante, tenho desconto?

Se você for estudante e tiver o student leap card, os valores das tarifas são outros. Se você usar pelo menos dois ônibus todos os dias (um na ida e outro na volta), compensa passar o cartão na máquina da direita e ser cobrado pela tarifa máxima de 2,60 EUR, pois quando você atingir 5 EUR de gastos no dia, os outros ônibus sairão de graça naquele dia.

O mesmo acontece para a semana: quando você atingir o limite de 20 EUR, o que costuma ocorrer na quinta-feira após usar todos os dias contando a partir de segunda-feira, os outros dias saem de graça (sexta, sábado e domingo).

Existem várias outras particularidades que você aprende de acordo com sua necessidade e você pode ver todas elas no site https://www.dublinbus.ie/Fares-and-Tickets/.

Além do bus, trem e tram

Existe também o serviço de bicicletas da cidade, o DublinBikes, que cobre a região central da cidade. Qualquer um pode comprar um ticket direto em alguns terminais das bicicletas com um cartão de crédito ou com o leap card. Para ambos casos, é precisa fazer um cadastro no site antes. Leia mais sobre os valores, funcionamento e estações em: http://www.dublinbikes.ie/

DublinBikes, estação St. Stephen’s Green East (Fonte: Google)

E não podemos esquecer ainda do bom e velho tênis! 🙂

A cidade não é tão grande, é plana e você consegue fazer quase tudo caminhando. Basta ter o Google Maps no celular e pedir direções à algum dublinense, caso esteja perdido(a). Eles são muito simpáticos, estão sempre dispostos a ajudar e estão super acostumados com estrangeiros.

Bom passeio!



1 thought on “Transporte público em Dublin”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *