Dicas da Ilha Esmeralda dadas por um grupo de mulheres queridas

Estou grávida na Irlanda! E agora?

Estou grávida na Irlanda! E agora?

Primeiramente, PARABÉNS aos papais! Este momento deve estar sendo mágico, com muitas alegrias e emoções, mas infelizmente junto a elas, estão também algumas preocupações. Calma! Este post tem a intenção de te ajudar explicando como funciona o acompanhamento de grávidas aqui na Irlanda – em Dublin, para ser mais precisa.

Estar longe do seu país de origem e não entender perfeitamente como funciona o sistema de saúde no país onde está vivendo pode te trazer algumas inseguranças, mas já te adianto que aqui na Irlanda o acompanhamento de grávidas é algo para se admirar, apesar do sistema de saúde deles no geral ser mal visto. Portanto, guarde essa informação positiva e acalme seu coração… Não precisa se preocupar quanto a isso!

Antes de querer saber sobre a gravidez na Irlanda, é preciso entender que aqui é praticada a medicina generalista, ou seja, você não se consulta com um especialista diretamente todas as vezes que tem algum problema, como ocorre no Brasil. Primeiro você procura um GP – General practitioner – e se houver necessidade de uma análise mais específica, ele fará o encaminhamento para um especialista ou hospital que também seja especializado em alguma (ou algumas) modalidade(s). O GP, que seria o equivalente ao clínico geral do Brasil, vai ser o primeiro contato com um médico que você vai ter após a descoberta da gravidez. E, a partir desse ponto, que toda a história começa…

Nessa primeira consulta com o GP, ele vai te explicar como tudo funciona e indicar em quais maternidades você poderá fazer o pré-natal (geralmente é a maternidade mais próxima a sua residência, mas se preferir outra, não tem problema). Uma das grandes surpresas nessa primeira consulta é que para confirmar a gravidez, o médico não vai pedir um exame de sangue ß-HCG (nem quantitativo e nem qualitativo). O exame de urina, feito ali mesmo no consultório, é que vai confirmar a sua gravidez  e a partir daí ele vai te encaminhar para a maternidade escolhida.    

Gravidez confirmada e maternidade escolhida? Agora é hora de decidir qual tipo de atendimento você adotará para o pré-natal, podendo ser o sistema público, semi-privado e privado. As principais diferenças entre eles estão nas consultas ao longo da gravidez e no leito que vai ocupar no pós-parto, pois o parto em si é feito sempre pela rede pública (todas as maternidades são públicas). Mas, vamos diferenciá-los um pouco mais? Continue lendo…

 

  • Público: todas as consultas, exames, ultrassonografias, vacinas e cursos para gestantes são de graça, ou seja, tudo é pago pelo governo. O seu custo será basicamente o da consulta com o GP assim que você descobriu a gravidez e que te encaminhou para o hospital para fazer o pré-natal, ou seja, algo em torno de 60 euros. É o hospital que marca as suas consultas e você vai receber um SMS e/ou uma carta lembrando o dia e o horário. O horário marcado é o horário que você deve chegar no hospital, mas você precisará esperar um pouco – ou muito – para ser atendida. No  atendimento primeiramente você passa pela Midwife e depois por um médico que está disponível. Não será um único médico durante todo o pré-natal, e sim, a equipe do hospital, com isso cada mês poderá ser um diferente. Durante o parto a sua sala será individual, mas no pós-parto você ficará em uma enfermaria com outras mulheres (em média dez) que também acabaram de ter filhos.

 

  • Semi-privado: você será acompanhada pela mesma equipe médica durante toda a sua gravidez, porém não é você que determina o médico. As consultas serão marcadas entre você e a médica e elas acontecem num edifício ao lado da maternidade, onde acontecem as consultas tanto do privado quanto do semi. As consultas seguem um calendário base, mas o médico pode determinar consultas extras, tudo depende da sua gravidez. O acompanhamento é feito em conjunto com o seu GP,  então, as consultas costumam intercalar-se entre GP e maternidade. A primeira consulta, em geral com 12 semanas, é bastante longa, mais de 1h, pois é coletada todo histórico médico da sua vida, já as demais duram em média 30 minutos. Você sempre será primeiramente atendida pela midwife da equipe que, é responsável por todo o acompanhamento do desenvolvimento da gravidez, coleta de exames de sangue, urina, medição de peso, necessidades da gestante, indicação de terapias etc e em seguida você é atendido pelo médico que fará o acompanhamento do bebê através de ultrassom e bate papo também. O valor do “pacote pré-natal” é cerca de 1100 euros que você deve pagar já na primeira consulta e neste valor está incluso todo e qualquer exame incluindo o morfológico de 20 semanas. Já no dia do parto você será atendida pelas midwives de plantão e se necessário virá o médico para alguma intervenção, mas não necessariamente será o médico que te acompanhou, será o médico de plantão que terá acesso a todas as informações do seu pré-natal. No Rotunda, agora é tudo via sistema, então cada visita à clínica, as informações daquele dia ficam registradas em seu nome no sistema (isso também é válido para o atendimento no público). Ou seja, independente do médico ou da midwife que farão seu parto, as informações estarão todas disponíveis. No pós-parto, você ficará em um quarto semi-privado, ou seja, com no máximo 4 mulheres, e se não tiver leito disponível, você poderá ficar no público. (OBS. Certifique-se que seu plano cobre estes tipos de quarto, porque as diárias partem de 800 euros no Rotunda por exemplo).

 

  • Privado: você será acompanhada pelo mesmo médico obstetra durante toda a sua gravidez e as consultas serão marcadas por você no consultório, que costuma ser ao lado da maternidade. As consultas são mensais, não precisam começar depois de 12 semanas, duram em média 15 minutos e o seu médico sempre fará ultras para o acompanhamento do bebê. Apesar das consultas serem rápidas, o médico e a secretária estão sempre a disposição por e-mail ou telefone, então você não precisa ir ao hospital toda vez que sentir algo diferente ou quiser tirar uma dúvida. Se você tiver uma gravidez saudável, as consultas passam a ser quinzenais depois da 28a semana e semanais a partir das 36a, mas não sabemos como funciona se você apresentar complicações no meio da gravidez. O valor do “pacote pré-natal” varia entre 2500-3500 euros e você ainda vai precisar pagar pela ultra morfológica de 20 semanas (150 euros), pelo exame de sangue de 12 semanas (125 euros) e outros exames que o médico vier a pedir. Apesar de você pagar este valor pelo acompanhamento do mesmo médico, não é garantido que ele estará presente no seu parto, porque imprevistos podem acontecer, mas com certeza haverá um médico na sua sala de parto que saberá todo o seu histórico, porque tudo fica anotado em uma ficha. As secretárias dos médicos te perguntam antes de começar o atendimento pré-natal qual é a sua due date para diminuir ao máximo as chances do médico não estar presente no dia.  No pós-parto, você ficará em um quarto privado ou semi-privado, ou seja, com no máximo 4 mulheres, mas isso você só vai descobrir na hora, porque vai depender da disponibilidade da maternidade no seu grande dia. (OBS. Certifique-se que seu plano cobre estes tipos de quarto, porque as diárias partem de 700 euros).

 

Algumas observações importantes:

 

  1. Em caso de emergência, toda gestante tem que ir direto para a maternidade. Não importa se você está sendo atendida pelo médico privado, semi-privado ou público. Se você quiser apenas tirar dúvidas, no atendimento público e semi-privado você pode procurar por umas das midwives que sempre estarão disponíveis na maternidade e no particular você pode falar diretamente com o médico ou com sua secretária.
  2. Se durante a gestação você apresentar diabetes gestacional, pré-eclâmpsia ou alguma outra doença, você será encaminhada para o programa público da maternidade para tratamento/acompanhamento.
  3. Na Irlanda, a preferência sempre será para partos normais e a cesárea só será considerada em casos de real necessidade.
  4. Caso você tenha algum seguro saúde, o mesmo poderá cobrir parcialmente ou integralmente os custos do atendimento semi-privado ou privado, que nada tem a ver com os custos do hospital. É importante ressaltar que nem todos os planos cobrem o hospital, então confirme com o seu plano qual é a cobertura do hospital para você não ser surpreendida com uma conta gigantesca das diárias (3-5 em média), anestesista, etc.
  5. Se você optar pelo público, não precisa ter medo. Absolutamente todas as meninas com quem conversei elogiaram bastante (muito mesmo) todo o acompanhamento. LEMBRE-SE QUE A ESCOLHA É SUA! 🙂

E para encerrar este post, uma curiosidade: o hospital maternidade The Rotunda, que fica na região central de Dublin, em D1, é a mais antiga do mundo em funcionamento. Desde a sua inauguração, em 1745, ela atende mulheres e bebês sem interrupções!

Tenha um bom pré-natal e uma boa hora 😉

Foto retirada do Google.



3 thoughts on “Estou grávida na Irlanda! E agora?”

  • Me senti tao bem ao ler isso Camila, queria muito poder conversar um pouco mais com você. Estou me sentindo tao assustada… E conversar com alguém que tenha experiencia ou conheça alguem que tenha sera bom para mim. Grande abraço. Muito obrigada!!!

    • Oi, Isa! Que bom saber que este post te ajudou de alguma forma…
      Você já está no grupo Expat Wives in Dublin do Facebook? Lá você vai encontrar muitas mamães que podem te ajudar. Eu, inclusive! Me procura no Facebook (Fernanda Sá) que posso ajudar a tirar algumas dúvidas suas…acabei de ter neném.

      Beijos e fique bem!

    • É gratificante saber que conseguimos tocar pelo menos uma pessoa. Muito obrigada pelo comentário, Isa. Procure pelo grupo no facebook, estou por lá, daí você pode mandar uma mensagem no privado pra mim que vamos conversando. Não fique assustada (apesar de ser tudo novo), aos poucos tudo se encaixa no seu devido lugar. Abraços e fique bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *